Livro 2 - Salmos 42 a 72

BCC

Livro 1   Livro 2   Livro 3   Livro 4   Livro 5  

Salmo 42
1 Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus.
2 A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando poderei entrar para apresentar-me a Deus?
3 Minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite, pois me perguntam o tempo todo: “Onde está o seu Deus?”
4 Quando me lembro destas coisas choro angustiado. Pois eu costumava ir com a multidão, conduzindo a procissão à casa de Deus, com cantos de alegria e de ação de graças entre a multidão que festejava.
5 Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus! Pois ainda o louvarei; ele é o meu Salvador e 6 o meu Deus. A minha alma está profundamente triste; por isso de ti me lembro desde a terra do Jordão, das alturas do Hermom, desde o monte Mizar.
7 Abismo chama abismo ao rugir das tuas cachoeiras; todas as tuas ondas e vagalhões se abateram sobre mim.
8 Conceda-me o SENHOR o seu fiel amor de dia; de noite esteja comigo a sua canção. É a minha oração ao Deus que me dá vida.
9 Direi a Deus, minha Rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que devo sair vagueando e pranteando, oprimido pelo inimigo?
10 Até os meus ossos sofrem agonia mortal quando os meus adversários zombam de mim, perguntando-me o tempo todo: “Onde está o seu Deus?”
11 Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus! Pois ainda o louvarei; ele é o meu Salvador e o meu Deus.
Os Salmos 42 e 43 constituem um único poema em muitos manuscritos do Texto Massorético.
42.5,6 Conforme alguns manuscritos do Texto Massorético, a Septuaginta e a Versão Siríaca. A maioria dos manuscritos do Texto Massorético diz louvarei por teu auxílio salvador. 6 Ó meu Deus.

Salmo 43
1 Faze-me justiça, ó Deus, e defende a minha causa contra um povo infiel; livra-me dos homens traidores e perversos.
2 Pois tu, ó Deus, és a minha fortaleza. Por que me rejeitaste? Por que devo sair vagueando e pranteando, oprimido pelo inimigo?
3 Envia a tua luz e a tua verdade; elas me guiarão e me levarão ao teu santo monte, ao lugar onde habitas.
4 Então irei ao altar de Deus, a Deus, a fonte da minha plena alegria. Com a harpa te louvarei, ó Deus, meu Deus!
5 Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus! Pois ainda o louvarei; ele é o meu Salvador e o meu Deus.

Salmo 44
1 Com os nossos próprios ouvidos ouvimos, ó Deus; os nossos antepassados nos contaram os feitos que realizaste no tempo deles, nos dias da antiguidade.
2 Com a tua própria mão expulsaste as nações para estabelecer os nossos antepassados; arruinaste povos e fizeste prosperar os nossos antepassados.
3 Não foi pela espada que conquistaram a terra, nem pela força do seu braço que alcançaram a vitória; foi pela tua mão direita, pelo teu braço, e pela luz do teu rosto, por causa do teu amor para com eles.
4 És tu, meu Rei e meu Deus! És tu que decretas vitórias para Jacó!
5 Contigo pomos em fuga os nossos adversários; pelo teu nome pisoteamos os que nos atacam.
6 Não confio em meu arco, minha espada não me concede a vitória; 7 mas tu nos concedes a vitória sobre os nossos adversários e humilhas os que nos odeiam.
8 Em Deus nos gloriamos o tempo todo, e louvaremos o teu nome para sempre.
Pausa
9 Mas agora nos rejeitaste e nos humilhaste; já não sais com os nossos exércitos.
10 Diante dos nossos adversários fizeste-nos bater em retirada, e os que nos odeiam nos saquearam.
11 Tu nos entregaste para sermos devorados como ovelhas e nos dispersaste entre as nações.
12 Vendeste o teu povo por uma ninharia, nada lucrando com a sua venda.
13 Tu nos fizeste motivo de vergonha dos nossos vizinhos, objeto de zombaria e menosprezo dos que nos rodeiam.
14 Fizeste de nós um provérbio entre as nações; os povos meneiam a cabeça quando nos veem.
15 Sofro humilhação o tempo todo, e o meu rosto está coberto de vergonha 16 por causa da zombaria dos que me censuram e me provocam, por causa do inimigo, que busca vingança.
17 Tudo isso aconteceu conosco, sem que nos tivéssemos esquecido de ti, nem tivéssemos traído a tua aliança.
18 Nossos corações não voltaram atrás, nem os nossos pés se desviaram da tua vereda.
19 Todavia, tu nos esmagaste e fizeste de nós um covil de chacais, e de densas trevas nos cobriste.
20 Se tivéssemos esquecido o nome do nosso Deus e tivéssemos estendido as nossas mãos a um deus estrangeiro, 21 Deus não o teria descoberto? Pois ele conhece os segredos do coração!
22 Contudo, por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro.
23 Desperta, Senhor! Por que dormes? Levanta-te! Não nos rejeites para sempre.
24 Por que escondes o teu rosto e esqueces o nosso sofrimento e a nossa aflição?
25 Fomos humilhados até o pó; nossos corpos se apegam ao chão.
26 Levanta-te! Socorre-nos! Resgata-nos por causa da tua fidelidade.
44.3 Isto é, pela tua bondade.
44.4 Conforme a Septuaginta e a Versão Siríaca. O Texto Massorético diz meu Rei, ó Deus!

Salmo 45
1 Com o coração vibrando de boas palavras recito os meus versos em honra ao rei; seja a minha língua como a pena de um hábil escritor.
2 És dos homens o mais notável; derramou-se graça em teus lábios, visto que Deus te abençoou para sempre.
3 Prende a espada à cintura, ó poderoso! Cobre-te de esplendor e majestade.
4 Na tua majestade cavalga vitoriosamente pela verdade, pela misericórdia e pela justiça; que a tua mão direita realize feitos gloriosos.
5 Tuas flechas afiadas atingem o coração dos inimigos do rei; debaixo dos teus pés caem nações.
6 O teu trono, ó Deus, subsiste para todo o sempre; cetro de justiça é o cetro do teu reino.
7 Amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso Deus, o teu Deus, escolheu-te dentre os teus companheiros ungindo-te com óleo de alegria.
8 Todas as tuas vestes exalam aroma de mirra, aloés e cássia; nos palácios adornados de marfim ressoam os instrumentos de corda que te alegram.
9 Filhas de reis estão entre as mulheres da tua corte; à tua direita está a noiva real enfeitada de ouro puro de Ofir.
10 Ouça, ó filha, considere e incline os seus ouvidos: Esqueça o seu povo e a casa paterna.
11 O rei foi cativado pela sua beleza; honre-o, pois ele é o seu senhor.
12 A cidade de Tiro trará seus presentes; seus moradores mais ricos buscarão o seu favor.
13 Cheia de esplendor está a princesa em seus aposentos, com vestes enfeitadas de ouro.
14 Em roupas bordadas é conduzida ao rei, acompanhada de um cortejo de virgens; são levadas à tua presença.
15 Com alegria e exultação são conduzidas ao palácio do rei.
16 Os teus filhos ocuparão o trono dos teus pais; por toda a terra os farás príncipes.
17 Perpetuarei a tua lembrança por todas as gerações; por isso as nações te louvarão para todo o sempre.
45.12 Hebraico: filha.
45.12 Ou Um manto feito em Tiro está entre

Salmo 46
1 Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre presente na adversidade.
2 Por isso não temeremos, ainda que a terra trema e os montes afundem no coração do mar, 3 ainda que estrondem as suas águas turbulentas e os montes sejam sacudidos pela sua fúria.
Pausa
4 Há um rio cujos canais alegram a cidade de Deus, o Santo Lugar onde habita o Altíssimo.
5 Deus nela está! Não será abalada! Deus vem em seu auxílio desde o romper da manhã.
6 Nações se agitam, reinos se abalam; ele ergue a voz, e a terra se derrete.
7 O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é a nossa torre segura.
Pausa
8 Venham! Vejam as obras do SENHOR, seus feitos estarrecedores na terra.
9 Ele dá fim às guerras até os confins da terra; quebra o arco e despedaça a lança; destrói os escudos com fogo.
10 “Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus! Serei exaltado entre as nações, serei exaltado na terra.”
11 O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é a nossa torre segura.
Pausa
46.9 Ou carros

Salmo 47
1 Batam palmas, vocês, todos os povos; aclamem a Deus com cantos de alegria.
2 Pois o SENHOR Altíssimo é temível, é o grande Rei sobre toda a terra!
3 Ele subjugou as nações ao nosso poder, os povos colocou debaixo de nossos pés, 4 e escolheu para nós a nossa herança, o orgulho de Jacó, a quem amou.
Pausa
5 Deus subiu em meio a gritos de alegria; o SENHOR, em meio ao som de trombetas.
6 Ofereçam música a Deus, cantem louvores! Ofereçam música ao nosso Rei, cantem louvores!
7 Pois Deus é o rei de toda a terra; cantem louvores com harmonia e arte.
8 Deus reina sobre as nações; Deus está assentado em seu santo trono.
9 Os soberanos das nações se juntam ao povo do Deus de Abraão, pois os governantes da terra pertencem a Deus; ele é soberanamente exaltado.
47.9 Hebraico: escudos.

Salmo 48
1 Grande é o SENHOR, e digno de todo louvor na cidade do nosso Deus.
2 Seu santo monte, belo e majestoso, é a alegria de toda a terra. Como as alturas do Zafom é o monte Sião, a cidade do grande Rei.
3 Nas suas cidadelas Deus se revela como sua proteção.
4 Vejam! Os reis somaram forças, e juntos avançaram contra ela.
5 Quando a viram, ficaram atônitos, fugiram aterrorizados.
6 Ali mesmo o pavor os dominou; contorceram-se como a mulher no parto.
7 Foste como o vento oriental quando destruiu os navios de Társis.
8 Como já temos ouvido, agora também temos visto na cidade do SENHOR dos Exércitos, na cidade de nosso Deus: Deus a preserva firme para sempre.
Pausa
9 No teu templo, ó Deus, meditamos em teu amor leal.
10 Como o teu nome, ó Deus, o teu louvor alcança os confins da terra; a tua mão direita está cheia de justiça.
11 O monte Sião se alegra, as cidades de Judá exultam por causa das tuas decisões justas.
12 Percorram Sião, contornando-a, contem as suas torres, 13 observem bem as suas muralhas,
examinem as suas cidadelas, para que vocês falem à próxima geração 14 que este Deus é o nosso Deus para todo o sempre; ele será o nosso guia até o fim.
48.2 Zafom refere-se ou a um monte sagrado ou à direção norte.
48.11 Hebraico: filhas.
48.14 Ou até à morte

Salmo 49
1 Ouçam isto vocês, todos os povos; escutem, todos os que vivem neste mundo, 2 gente do povo, homens importantes, ricos e pobres igualmente:
3 A minha boca falará com sabedoria; a meditação do meu coração trará entendimento.
4 Inclinarei os meus ouvidos a um provérbio; com a harpa exporei o meu enigma: 5 Por que deverei temer, quando vierem dias maus, quando inimigos traiçoeiros me cercarem, 6 aqueles que confiam em seus bens e se gabam de suas muitas riquezas?
7 Homem algum pode redimir seu irmão ou pagar a Deus o preço de sua vida, 8 pois o resgate de uma vida não tem preço. Não há pagamento que o livre 9 para que viva para sempre e não sofra decomposição.
10 Pois todos podem ver que os sábios morrem, como perecem o tolo e o insensato e para outros deixam os seus bens.
11 Seus túmulos serão suas moradas para sempre, suas habitações de geração em geração,
ainda que tenham dado seus nomes a terras.
12 O homem, mesmo que muito importante, não vive para sempre; é como os animais, que perecem.
13 Este é o destino dos que confiam em si mesmos, e dos seus seguidores, que aprovam o que eles dizem.
Pausa
14 Como ovelhas, estão destinados à sepultura, e a morte lhes servirá de pastor. Pela manhã os justos triunfarão sobre eles! A aparência deles se desfará na sepultura, longe das suas gloriosas mansões.
15 Mas Deus redimirá a minha vida da sepultura e me levará para si.
Pausa
16 Não se aborreça quando alguém se enriquece e aumenta o luxo de sua casa; 17 pois nada levará consigo quando morrer; não descerá com ele o seu esplendor.
18 Embora em vida ele se parabenize: “Todos o elogiam, pois você está prosperando”,
19 ele se juntará aos seus antepassados, que nunca mais verão a luz.
20 O homem, mesmo que muito importante, não tem entendimento; é como os animais, que perecem.
49.11 Conforme a Septuaginta e a Versão Siríaca. O Texto Massorético diz Em seus pensamentos suas casas serão perpétuas.
49.11 Ou pois eles têm
49.12 Conforme o Texto Massorético. A Septuaginta e a Versão Siríaca dizem não tem entendimento. Veja o versículo 20.
49.14 Hebraico: Sheol. Essa palavra também pode ser traduzida por profundezas, pó ou morte; também no final deste versículo e no versículo 15.

Salmo 50
1 Fala o SENHOR, o Deus supremo; convoca toda a terra, do nascente ao poente.
2 Desde Sião, perfeita em beleza, Deus resplandece.
3 Nosso Deus vem! Certamente não ficará calado! À sua frente vai um fogo devorador, e, ao seu redor, uma violenta tempestade.
4 Ele convoca os altos céus e a terra, para o julgamento do seu povo:
5 “Ajuntem os que me são fiéis, que, mediante sacrifício, fizeram aliança comigo”.
6 E os céus proclamam a sua justiça, pois o próprio Deus é o juiz.
Pausa
7 “Ouça, meu povo, pois eu falarei; vou testemunhar contra você, Israel, eu, que sou Deus, o seu Deus.
8 Não o acuso pelos seus sacrifícios, nem pelos holocaustos, que você sempre me oferece.
9 Não tenho necessidade de nenhum novilho dos seus estábulos, nem dos bodes dos seus currais, 10 pois todos os animais da floresta são meus, como são as cabeças de gado aos milhares nas colinas.
11 Conheço todas as aves dos montes, e cuido das criaturas do campo.
12 Se eu tivesse fome, precisaria dizer a você? Pois o mundo é meu, e tudo o que nele existe.
13 Acaso como carne de touros ou bebo sangue de bodes?
14 Ofereça a Deus em sacrifício a sua gratidão, cumpra os seus votos para com o Altíssimo, 15 e clame a mim no dia da angústia; eu o livrarei, e você me honrará.”
16 Mas ao ímpio Deus diz: “Que direito você tem de recitar as minhas leis ou de ficar repetindo a minha aliança?
17 Pois você odeia a minha disciplina e dá as costas às minhas palavras!
18 Você vê um ladrão, e já se torna seu cúmplice, e com adúlteros se mistura.
19 Sua boca está cheia de maldade e a sua língua formula a fraude.
20 Deliberadamente você fala contra o seu irmão e calunia o filho de sua própria mãe.
21 Ficaria eu calado diante de tudo o que você tem feito? Você pensa que eu sou como você? Mas agora eu o acusarei diretamente, sem omitir coisa alguma.
22 “Considerem isto, vocês que se esquecem de Deus; caso contrário os despedaçarei, sem que ninguém os livre.
23 Quem me oferece sua gratidão como sacrifício, honra-me, e eu mostrarei a salvação de Deus ao que anda nos meus caminhos”.
50.8 Isto é, sacrifícios totalmente queimados; também em 51.16.

Salmo 51
1 Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões.
2 Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado.
3 Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue.
4 Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me.
5 Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.
6 Sei que desejas a verdade no íntimo; e no coração me ensinas a sabedoria.
7 Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei.
8 Faze-me ouvir de novo júbilo e alegria, e os ossos que esmagaste exultarão.
9 Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades.
10 Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável.
11 Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Santo Espírito.
12 Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer.
13 Então ensinarei os teus caminhos aos transgressores, para que os pecadores se voltem para ti.
14 Livra-me da culpa dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação! E a minha língua aclamará a tua justiça.
15 Ó Senhor, dá palavras aos meus lábios, e a minha boca anunciará o teu louvor.
16 Não te deleitas em sacrifícios nem te agradas em holocaustos, se não eu os traria.
17 Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.
18 Por tua boa vontade faze Sião prosperar; ergue os muros de Jerusalém.
19 Então te agradarás dos sacrifícios sinceros, das ofertas queimadas e dos holocaustos; e novilhos serão oferecidos sobre o teu altar.

Salmo 52
1 Por que você se vangloria do mal e de ultrajar a Deus continuamente?, ó homem poderoso!
2 Sua língua trama destruição; é como navalha afiada, cheia de engano.
3 Você prefere o mal ao bem, a falsidade, em lugar da verdade.
Pausa
4 Você ama toda palavra maldosa, ó língua mentirosa!
5 Saiba que Deus o arruinará para sempre: ele o agarrará e o arrancará da sua tenda; ele o desarraigará da terra dos vivos.
Pausa
6 Os justos verão isso e temerão; rirão dele, dizendo:
7 “Veja só o homem que rejeitou a Deus como refúgio; confiou em sua grande riqueza e buscou refúgio em sua maldade!”
8 Mas eu sou como uma oliveira que floresce na casa de Deus; confio no amor de Deus para todo o sempre.
9 Para sempre te louvarei pelo que fizeste; na presença dos teus fiéis proclamarei o teu nome, porque tu és bom.
52.1 Ou se a fidelidade de Deus dura para sempre?

Salmo 53
1 Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe!” Corromperam-se e cometeram injustiças detestáveis; não há ninguém que faça o bem.
2 Deus olha lá dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus.
3 Todos se desviaram, igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer.
4 Será que os malfeitores não aprendem? Eles devoram o meu povo como quem come pão, e não clamam a Deus!
5 Olhem! Estão tomados de pavor, quando não existe motivo algum para temer! Pois foi Deus quem espalhou os ossos dos que atacaram você; você os humilhou porque Deus os rejeitou.
6 Ah, se de Sião viesse a salvação para Israel! Quando Deus restaurar o seu povo, Jacó exultará! Israel se regozijará!
53.6 Ou trouxer de volta os cativos do seu

Salmo 54
1 Salva-me, ó Deus, pelo teu nome; defende-me pelo teu poder.
2 Ouve a minha oração, ó Deus; escuta as minhas palavras.
3 Estrangeiros me atacam; homens cruéis querem matar-me, homens que não se importam com Deus.
Pausa
4 Certamente Deus é o meu auxílio; é o Senhor que me sustém.
5 Recaia o mal sobre os meus inimigos! Extermina-os por tua fidelidade!
6 Eu te oferecerei um sacrifício voluntário; louvarei o teu nome, ó SENHOR, porque tu és bom.
7 Pois ele me livrou de todas as minhas angústias, e os meus olhos contemplaram a derrota dos meus inimigos.
54.3 Alguns manuscritos do Texto Massorético dizem Arrogantes.

Salmo 55
1 Escuta a minha oração, ó Deus, não ignores a minha súplica; 2 ouve-me e responde-me! Os meus pensamentos me perturbam, e estou atordoado 3 diante do barulho do inimigo, diante da gritaria dos ímpios; pois eles aumentam o meu sofrimento e, irados, mostram seu rancor.
4 O meu coração está acelerado; os pavores da morte me assaltam.
5 Temor e tremor me dominam; o medo tomou conta de mim.
6 Então eu disse: Quem dera eu tivesse asas como a pomba; voaria até encontrar repouso!
7 Sim, eu fugiria para bem longe, e no deserto eu teria o meu abrigo.
Pausa
8 Eu me apressaria em achar refúgio longe do vendaval e da tempestade.
9 Destrói os ímpios, Senhor, confunde a língua deles, pois vejo violência e brigas na cidade.
10 Dia e noite eles rondam por seus muros; nela permeiam o crime e a maldade.
11 A destruição impera na cidade; a opressão e a fraude jamais deixam suas ruas.
12 Se um inimigo me insultasse, eu poderia suportar; se um adversário se levantasse contra mim, eu poderia defender-me; 13 mas logo você, meu colega, meu companheiro, meu amigo chegado, 14 você, com quem eu partilhava agradável comunhão enquanto íamos com a multidão festiva para a casa de Deus!
15 Que a morte apanhe os meus inimigos de surpresa! Desçam eles vivos para a sepultura, pois entre eles o mal acha guarida.
16 Eu, porém, clamo a Deus, e o SENHOR me salvará.
17 À tarde, pela manhã e ao meio-dia choro angustiado, e ele ouve a minha voz.
18 Ele me guarda ileso na batalha, sendo muitos os que estão contra mim.
19 Deus, que reina desde a eternidade, me ouvirá e os castigará.
Pausa
Pois jamais mudam sua conduta e não têm temor de Deus.
20 Aquele homem se voltou contra os seus aliados, violando o seu acordo.
21 Macia como manteiga é a sua fala, mas a guerra está no seu coração; suas palavras são mais suaves que o óleo, mas são afiadas como punhais.
22 Entregue suas preocupações ao SENHOR, e ele o susterá; jamais permitirá que o justo venha a cair.
23 Mas tu, ó Deus, farás descer à cova da destruição aqueles assassinos e traidores, os quais não viverão a metade dos seus dias. Quanto a mim, porém, confio em ti.
55.3 Ou opressão
55.15 Hebraico: Sheol. Essa palavra também pode ser traduzida por profundezas, pó ou morte.

Salmo 56
1 Tem misericórdia de mim, ó Deus, pois os homens me pressionam; o tempo todo me atacam e me oprimem.
2 Os meus inimigos pressionam-me sem parar; muitos atacam-me arrogantemente.
3 Mas eu, quando estiver com medo, confiarei em ti.
4 Em Deus, cuja palavra eu louvo, em Deus eu confio, e não temerei. Que poderá fazer-me o simples mortal?
5 O tempo todo eles distorcem as minhas palavras; estão sempre tramando prejudicar-me.
6 Conspiram, ficam à espreita, vigiam os meus passos, na esperança de tirar-me a vida.
7 Deixarás escapar essa gente tão perversa? Na tua ira, ó Deus, derruba as nações.
8 Registra, tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em teu odre; acaso não estão anotadas em teu livro?
9 Os meus inimigos retrocederão, quando eu clamar por socorro. Com isso saberei que Deus está a meu favor.
10 Confio em Deus, cuja palavra louvo, no SENHOR, cuja palavra louvo, 11 em Deus eu confio, e não temerei. Que poderá fazer-me o homem?
12 Cumprirei os votos que te fiz, ó Deus; a ti apresentarei minhas ofertas de gratidão.
13 Pois me livraste da morte e os meus pés de tropeçarem, para que eu ande diante de Deus na luz que ilumina os vivos.
56.7 Ou Rejeita-os por causa de sua maldade;

Salmo 57
1 Misericórdia, ó Deus; misericórdia, pois em ti a minha alma se refugia. Eu me refugiarei à sombra das tuas asas, até que passe o perigo.
2 Clamo ao Deus Altíssimo, a Deus, que para comigo cumpre o seu propósito.
3 Dos céus ele me envia a salvação, põe em fuga os que me perseguem de perto;
Pausa
Deus envia o seu amor e a sua fidelidade.
4 Estou em meio a leões, ávidos para devorar; seus dentes são lanças e flechas, suas línguas são espadas afiadas.
5 Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus! Sobre toda a terra esteja a tua glória!
6 Preparam armadilhas para os meus pés; fiquei muito abatido. Abriram uma cova no meu caminho, mas foram eles que nela caíram.
Pausa
7 Meu coração está firme, ó Deus, meu coração está firme; cantarei ao som de instrumentos!
8 Acorde, minha alma! Acordem, harpa e lira! Vou despertar a alvorada!
9 Eu te louvarei, ó Senhor, entre as nações; cantarei teus louvores entre os povos.
10 Pois o teu amor é tão grande que alcança os céus; a tua fidelidade vai até as nuvens.
11 Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus! Sobre toda a terra esteja a tua glória!

Salmo 58
1 Será que vocês, poderosos, falam de fato com justiça? Será que vocês, homens, julgam retamente?
2 Não! No coração vocês tramam a injustiça, e na terra as suas mãos espalham a violência.
3 Os ímpios erram o caminho desde o ventre; desviam-se os mentirosos desde que nascem.
4 Seu veneno é como veneno de serpente; tapam os ouvidos, como a cobra que se faz de surda 5 para não ouvir a música dos encantadores, que fazem encantamentos com tanta habilidade.
6 Quebra os dentes deles, ó Deus; arranca, SENHOR, as presas desses leões!
7 Desapareçam como a água que escorre! Quando empunharem o arco, caiam sem força as suas flechas!
8 Sejam como a lesma que se derrete pelo caminho; como feto abortado, não vejam eles o sol!
9 Os ímpios serão varridos antes que as suas panelas sintam o calor da lenha, esteja ela verde ou seca.
10 Os justos se alegrarão quando forem vingados, quando banharem seus pés no sangue dos ímpios.
11 Então os homens comentarão: “De fato os justos têm a sua recompensa; com certeza há um Deus que faz justiça na terra”.
58.1 Ou deuses
58.7 Ou murchem como a erva que é pisada!
58.9 Hebraico: dos espinhos.

Salmo 59
1 Livra-me dos meus inimigos, ó Deus; põe-me fora do alcance dos meus agressores.
2 Livra-me dos que praticam o mal e salva-me dos assassinos.
3 Vê como ficam à minha espreita! Homens cruéis conspiram contra mim, sem que eu tenha cometido qualquer delito ou pecado, ó SENHOR.
4 Mesmo eu não tendo culpa de nada, eles se preparam às pressas para atacar-me. Levanta-te para ajudar-me; olha para a situação em que me encontro!
5 Ó SENHOR, Deus dos Exércitos, ó Deus de Israel! Desperta para castigar todas as nações; não tenhas misericórdia dos traidores perversos.
Pausa
6 Eles voltam ao cair da tarde, rosnando como cães e rondando a cidade.
7 Vê que ameaças saem de suas bocas; seus lábios são como espadas, e dizem: “Quem nos ouvirá?”
8 Mas tu, SENHOR, vais rir deles; caçoarás de todas aquelas nações.
9 Ó tu, minha força, por ti vou aguardar; tu, ó Deus, és o meu alto refúgio.
10 O meu Deus fiel virá ao meu encontro e permitirá que eu triunfe sobre os meus inimigos.
11 Mas não os mates, ó Senhor, nosso escudo, se não, o meu povo o esquecerá. Em teu poder faze-os vaguearem, e abate-os.
12 Pelos pecados de suas bocas, pelas palavras de seus lábios, sejam apanhados em seu orgulho. Pelas maldições e mentiras que pronunciam, 13 consome-os em tua ira, consome-os até que não mais existam. Então se saberá até os confins da terra que Deus governa Jacó.
Pausa
14 Eles voltam ao cair da tarde, rosnando como cães, e rondando a cidade.
15 À procura de comida perambulam e, se não ficam satisfeitos, uivam.
16 Mas eu cantarei louvores à tua força; de manhã louvarei a tua fidelidade, pois tu és o meu alto refúgio, abrigo seguro nos tempos difíceis.
17 Ó minha força, canto louvores a ti; tu és, ó Deus, o meu alto refúgio, o Deus que me ama.

Salmo 60
1 Tu nos rejeitaste e nos dispersaste, ó Deus; tu derramaste a tua ira; restaura-nos agora!
2 Sacudiste a terra e abriste-lhe fendas; repara suas brechas, pois ameaça desmoronar-se.
3 Fizeste passar o teu povo por tempos difíceis; deste-nos um vinho estonteante.
4 Mas aos que te temem deste um sinal para que fugissem das flechas.
Pausa
5 Salva-nos com a tua mão direita e responde-nos, para que sejam libertos aqueles a quem amas.
6 Do seu santuário Deus falou: “No meu triunfo dividirei Siquém e repartirei o vale de Sucote.
7 Gileade é minha, Manassés também; Efraim é o meu capacete, Judá é o meu cetro.
8 Moabe é a pia em que me lavo, em Edom atiro a minha sandália; sobre a Filístia dou meu brado de vitória!”
9 Quem me levará à cidade fortificada? Quem me guiará a Edom?
10 Não foste tu, ó Deus, que nos rejeitaste e deixaste de sair com os nossos exércitos?
11 Dá-nos ajuda contra os adversários, pois inútil é o socorro do homem.
12 Com Deus conquistaremos a vitória, e ele pisoteará os nossos adversários.
60.6 Ou Na sua santidade

Salmo 61
1 Ouve o meu clamor, ó Deus; atenta para a minha oração.
2 Desde os confins da terra eu clamo a ti, com o coração abatido; põe-me a salvo na rocha mais alta do que eu.
3 Pois tu tens sido o meu refúgio, uma torre forte contra o inimigo.
4 Para sempre anseio habitar na tua tenda e refugiar-me no abrigo das tuas asas.
Pausa
5 Pois ouviste os meus votos, ó Deus; deste-me a herança que concedes aos que temem o teu nome.
6 Prolonga os dias do rei, por muitas gerações os seus anos de vida.
7 Para sempre esteja ele em seu trono, diante de Deus; envia o teu amor e a tua fidelidade para protegê-lo.
8 Então sempre cantarei louvores ao teu nome, cumprindo os meus votos cada dia.

Salmo 62
1 A minha alma descansa somente em Deus; dele vem a minha salvação.
2 Somente ele é a rocha que me salva; ele é a minha torre segura! Jamais serei abalado!
3 Até quando todos vocês atacarão um homem que está como um muro inclinado, como uma cerca prestes a cair?
4 Todo o propósito deles é derrubá-lo de sua posição elevada; eles se deliciam com mentiras. Com a boca abençoam, mas no íntimo amaldiçoam.
Pausa
5 Descanse somente em Deus, ó minha alma; dele vem a minha esperança.
6 Somente ele é a rocha que me salva; ele é a minha torre alta! Não serei abalado!
7 A minha salvação e a minha honra de Deus dependem; ele é a minha rocha firme, o meu refúgio.
8 Confie nele em todos os momentos, ó povo; derrame diante dele o coração, pois ele é o nosso refúgio.
Pausa
9 Os homens de origem humilde não passam de um sopro, os de origem importante não passam de mentira; pesados na balança, juntos não chegam ao peso de um sopro.
10 Não confiem na extorsão, nem ponham a esperança em bens roubados; se as suas riquezas aumentam, não ponham nelas o coração.
11 Uma vez Deus falou, duas vezes eu ouvi, que o poder pertence a Deus.
12 Contigo também, Senhor, está a fidelidade. É certo que retribuirás a cada um conforme o seu procedimento.

Salmo 63
1 Ó Deus, tu és o meu Deus, eu te busco intensamente; a minha alma tem sede de ti! Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca, exausta e sem água.
2 Quero contemplar-te no santuário e avistar o teu poder e a tua glória.
3 O teu amor é melhor do que a vida! Por isso os meus lábios te exaltarão.
4 Enquanto eu viver te bendirei, e em teu nome levantarei as minhas mãos.
5 A minha alma ficará satisfeita como quando tem rico banquete; com lábios jubilosos a minha boca te louvará.
6 Quando me deito lembro-me de ti; penso em ti durante as vigílias da noite.
7 Porque és a minha ajuda, canto de alegria à sombra das tuas asas.
8 A minha alma apega-se a ti; a tua mão direita me sustém.
9 Aqueles, porém, que querem matar-me serão destruídos; descerão às profundezas da terra.
10 Serão entregues à espada e devorados por chacais.
11 Mas o rei se alegrará em Deus; todos os que juram pelo nome de Deus o louvarão, mas as bocas dos mentirosos serão tapadas.

Salmo 64
1 Ouve-me, ó Deus, quando faço a minha queixa; protege a minha vida do inimigo ameaçador.
2 Defende-me da conspiração dos ímpios e da ruidosa multidão de malfeitores.
3 Eles afiam a língua como espada e apontam, como flechas, palavras envenenadas.
4 De onde estão emboscados atiram no homem íntegro; atiram de surpresa, sem qualquer temor.
5 Animam-se uns aos outros com planos malignos, combinam como ocultar as suas armadilhas, e dizem: “Quem as verá?”
6 Tramam a injustiça e dizem: “Fizemos plano perfeito!” A mente e o coração de cada um deles o encobrem!
7 Mas Deus atirará neles suas flechas; repentinamente serão atingidos.
8 Pelas próprias palavras farão cair uns aos outros; menearão a cabeça e zombarão deles todos os que os virem.
9 Todos os homens temerão, e proclamarão as obras de Deus, refletindo no que ele fez.
10 Alegrem SENHOR e nele busquem refúgio; congratulem-se todos os retos de coração!
64.5 Ou nos
64.6 Ou Eles ocultam
64.6 Ou Ninguém nos descobrirá!

Salmo 65
1 O louvor te aguarda em Sião, ó Deus; os votos que te fizemos serão cumpridos.
2 Ó tu que ouves a oração, a ti virão todos os homens.
3 Quando os nossos pecados pesavam sobre nós, tu mesmo fizeste propiciação por nossas transgressões.
4 Como são felizes aqueles que escolhes e trazes a ti, para viverem nos teus átrios! Transbordamos de bênçãos da tua casa, do teu santo templo! as o bramido dos mares, em os habitantes das terras distantes e as colinas se vestem de alegria.
Pausa
5 Tu nos respondes com temíveis feitos de justiça, ó Deus, nosso Salvador, esperança de todos os confins da terra e dos mais distantes mares.
6 Tu que firmaste os montes pela tua força, pelo teu grande poder.
7 Tu que acalmas o bramido dos mares, o bramido de suas ondas, e o tumulto das nações.
8 Tremem os habitantes das terras distantes diante das tuas maravilhas; do nascente ao poente despertas canções de alegria.
9 Cuidas da terra e a regas; fartamente a enriqueces. Os riachos de Deus transbordam para que nunca falte o trigo, pois assim ordenaste.
10 Encharcas os seus sulcos e aplainas os seus torrões; tu a amoleces com chuvas e abençoas as suas colheitas.
11 Coroas o ano com a tua bondade, e por onde passas emana fartura; 12 fartura vertem as pastagens do deserto, e as colinas se vestem de alegria.
13 Os campos se revestem de rebanhos e os vales se cobrem de trigo; eles exultam e cantam de alegria!
65.1 Ou O louvor é apropriado a ti
65.9 Ou pois é assim que preparas a terra.

Salmo 66
1 Aclamem a Deus, povos de toda terra!
2 Cantem louvores ao seu glorioso nome; louvem-no gloriosamente!
3 Digam a Deus: “Quão temíveis são os teus feitos! Tão grande é o teu poder que os teus inimigos rastejam diante de ti!
4 Toda a terra te adora e canta louvores a ti, canta louvores ao teu nome”.
5 Venham e vejam o que Deus tem feito; como são impressionantes as suas obras em favor dos homens!
6 Ele transformou o mar em terra seca, e o povo atravessou as águas a pé; e ali nos alegramos nele.
7 Ele governa para sempre com o seu poder, seus olhos vigiam as nações; que os rebeldes não se levantem contra ele!
8 Bendigam o nosso Deus, ó povos, façam ressoar o som do seu louvor; 9 foi ele quem preservou a nossa vida impedindo que os nossos pés escorregassem.
10 Pois tu, ó Deus, nos submeteste à prova e nos refinaste como a prata.
11 Fizeste-nos cair numa armadilha e sobre nossas costas puseste fardos.
12 Deixaste que os inimigos cavalgassem sobre a nossa cabeça; passamos pelo fogo e pela água, mas a um lugar de fartura nos trouxeste.
13 Para o teu templo virei com holocaustos e cumprirei os meus votos para contigo, 14 votos que os meus lábios fizeram e a minha boca falou quando eu estava em dificuldade.
15 Oferecerei a ti animais gordos em holocausto; sacrificarei carneiros, cuja fumaça subirá a ti, e também novilhos e cabritos.
Pausa
16 Venham e ouçam, todos vocês que temem a Deus; vou contar-lhes o que ele fez por mim.
17 A ele clamei com os lábios; com a língua o exaltei.
18 Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria; 19 mas Deus me ouviu,
deu atenção à oração que lhe dirigi.
20 Louvado seja Deus, que não rejeitou a minha oração nem afastou de mim o seu amor!
Pausa
66.6 Ou o rio
66.6 Ou venham, alegremo-nos nele.
66.12 Algumas versões antigas dizem de repouso.
66.13 Isto é, sacrifícios totalmente queimados; também no versículo 15.

Salmo 67
1 Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe, e faça resplandecer o seu rosto sobre nós,
Pausa
2 para que sejam conhecidos na terra os teus caminhos, a tua salvação entre todas as nações.
3 Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te todos os povos.
4 Exultem e cantem de alegria as nações, pois governas os povos com justiça e guias as nações na terra.
Pausa
5 Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te todos os povos.
6 Que a terra dê a sua colheita, e Deus, o nosso Deus, nos abençoe!
7 Que Deus nos abençoe, e o temam todos os confins da terra.
67.1 Isto é, mostre-nos a sua bondade.

Salmo 68
1 Que Deus se levante! Sejam espalhados os seus inimigos, fujam dele os seus adversários.
2 Que tu os dissipes assim como o vento leva a fumaça; como a cera se derrete na presença do fogo, assim pereçam os ímpios na presença de Deus.
3 Alegrem-se, porém, os justos! Exultem diante de Deus! Regozijem-se com grande alegria!
4 Cantem a Deus, louvem o seu nome, exaltem aquele que cavalga sobre as nuvens; seu nome é SENHOR! Exultem diante dele!
5 Pai para os órfãos e defensor das viúvas é Deus em sua santa habitação.
6 Deus dá um lar aos solitários, liberta os presos para a prosperidade, mas os rebeldes vivem em terra árida.
7 Quando saíste à frente do teu povo, ó Deus, quando marchaste pelo ermo,
Pausa
8 a terra tremeu, o céu derramou chuva diante de Deus, o Deus do Sinai, diante de Deus, o Deus de Israel.
9 Deste chuvas generosas, ó Deus; refrescaste a tua herança exausta.
10 O teu povo nela se instalou, e da tua bondade, ó Deus, supriste os pobres.
11 O Senhor anunciou a palavra, e muitos mensageiros a proclamavam:
12 “Reis e exércitos fogem em debandada; a dona de casa reparte os despojos.
13 Mesmo quando vocês dormem entre as fogueiras do acampamento, as asas da minha pomba estão recobertas de prata, as suas penas, de ouro reluzente”.
14 Quando o Todo-poderoso espalhou os reis, foi como neve no monte Zalmom.
15 Os montes de Basã são majestosos; escarpados são os montes de Basã.
16 Por que, ó montes escarpados, estão com inveja do monte que Deus escolheu para sua habitação, onde o próprio SENHOR habitará para sempre?
17 Os carros de Deus são incontáveis, são milhares de milhares; neles o Senhor veio do Sinai para o seu Lugar Santo.
18 Quando subiste em triunfo às alturas, ó SENHOR Deus, levaste cativos muitos prisioneiros;
recebeste homens como dádivas, até mesmo rebeldes, para estabeleceres morada.
19 Bendito seja o Senhor, Deus, nosso Salvador, que cada dia suporta as nossas cargas.
Pausa
20 O nosso Deus é um Deus que salva; ele é o Soberano, ele é o SENHOR que nos livra da morte.
21 Certamente Deus esmagará a cabeça dos seus inimigos, o crânio cabeludo dos que persistem em seus pecados.
22 “Eu os trarei de Basã”, diz o Senhor, “eu os trarei das profundezas do mar, 23 para que você encharque os pés no sangue dos inimigos, sangue do qual a língua dos cães terá a sua porção.”
24 Já se vê a tua marcha triunfal, ó Deus, a marcha do meu Deus e Rei adentrando o santuário.
25 À frente estão os cantores, depois os músicos; com eles vão as jovens tocando tamborins. Sua majestade está sobre Israel, é o Deus de Israel pois as águas subiram até o meu pescoço.
26 Bendigam a Deus na grande congregação! Bendigam o SENHOR, descendentes de Israel!
27 Ali está a pequena tribo de Benjamim, a conduzi-los, os príncipes de Judá acompanhados de suas tropas, e os príncipes de Zebulom e Naftali.
28 A favor de vocês, manifeste Deus o seu poder! Mostra, ó Deus, o poder que já tens operado
para conosco.
29 Por causa do teu templo em Jerusalém, reis te trarão presentes.
30 Repreende a fera entre os juncos, a manada de touros entre os bezerros das nações. Humilhados, tragam barras de prata. Espalha as nações que têm prazer na guerra.
31 Ricos tecidos venham do Egito; a Etiópia corra para Deus de mãos cheias.
32 Cantem a Deus, reinos da terra, louvem o Senhor,
Pausa
33 aquele que cavalga os céus, os antigos céus. Escutem! Ele troveja com voz poderosa.
34 Proclamem o poder de Deus! seu poder está nas altas nuvens.
35 Tu és temível no teu santuário, ó Deus; que dá poder e força ao seu povo. Bendito seja Deus!
68.4 Ou preparem o caminho para aquele que cavalga pelos desertos;
68.12 Ou as belas mulheres do palácio são repartidas como despojo.
68.13 Ou os alforjes
68.18 Ou dádivas dentre os homens, até dos que se rebelaram contra a tua habitação.
68.26 Hebraico: fonte.
68.28 Conforme alguns manuscritos do Texto Massorético. Muitos manuscritos do Texto Massorético e algumas versões antigas dizem Manifesta, ó Deus, o teu poder!
68.31 Ou embaixadores

Salmo 69
1 Salva-me, ó Deus!, pois as águas subiram até o meu pescoço.
2 Nas profundezas lamacentas eu me afundo; não tenho onde firmar os pés. Entrei em águas profundas; as correntezas me arrastam.
3 Cansei-me de pedir socorro; minha garganta se abrasa. Meus olhos fraquejam de tanto esperar pelo meu Deus.
4 Os que sem razão me odeiam são mais do que os fios de cabelo da minha cabeça; muitos são os que me prejudicam sem motivo, muitos, os que procuram destruir-me. Sou forçado a devolver o que não roubei.
5 Tu bem sabes como fui insensato, ó Deus; a minha culpa não te é encoberta.
6 Não se decepcionem por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor, SENHOR dos Exércitos! Não se frustrem por minha causa os que te buscam, ó Deus de Israel!
7 Pois por amor a ti suporto zombaria, e a vergonha cobre-me o rosto.
8 Sou um estrangeiro para os meus irmãos, um estranho até para os filhos da minha mãe; 9 pois o zelo pela tua casa me consome, e os insultos daqueles que te insultam caem sobre mim.
10 Até quando choro e jejuo, tenho que suportar zombaria; 11 quando ponho vestes de lamento,
sou objeto de chacota.
12 Os que se ajuntam na praça falam de mim, e sou a canção dos bêbados.
13 Mas eu, SENHOR, no tempo oportuno, elevo a ti minha oração; responde-me, por teu grande amor, ó Deus, com a tua salvação infalível!
14 Tira-me do atoleiro, não me deixes afundar; liberta-me dos que me odeiam e das águas profundas.
15 Não permitas que as correntezas me arrastem, nem que as profundezas me engulam, nem que a cova feche sobre mim a sua boca!
16 Responde-me, SENHOR, pela bondade do teu amor; por tua grande misericórdia, volta-te para mim.
17 Não escondas do teu servo a tua face; responde-me depressa, pois estou em perigo.
18 Aproxima-te e resgata-me; livra-me por causa dos meus inimigos.
19 Tu bem sabes como sofro zombaria, humilhação e vergonha; conheces todos os meus adversários.
20 A zombaria partiu-me o coração; estou em desespero! Supliquei por socorro, nada recebi; por consoladores, e a ninguém encontrei.
21 Puseram fel na minha comida e para matar-me a sede deram-me vinagre.
22 Que a mesa deles se lhes transforme em laço; torne-se retribuição e armadilha.
23 Escureçam-se os seus olhos para que não consigam ver; faze-lhes tremer o corpo sem parar.
24 Despeja sobre eles a tua ira; que o teu furor ardente os alcance.
25 Fique deserto o lugar deles; não haja ninguém que habite nas suas tendas.
26 Pois perseguem aqueles que tu feres e comentam a dor daqueles a quem castigas.
27 Acrescenta-lhes pecado sobre pecado; não os deixes alcançar a tua justiça.
28 Sejam eles tirados do livro da vida e não sejam incluídos no rol dos justos.
29 Grande é a minha aflição e a minha dor! Proteja-me, ó Deus, a tua salvação!
30 Louvarei o nome de Deus com cânticos e proclamarei sua grandeza com ações de graças;
31 isso agradará o SENHOR mais do que bois, mais do que touros com seus chifres e cascos.
32 Os necessitados o verão e se alegrarão; a vocês que buscam a Deus, vida ao seu coração!
33 O SENHOR ouve o pobre e não despreza o seu povo aprisionado.
34 Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo o que neles se move, 35 pois Deus salvará Sião e reconstruirá as cidades de Judá. Então o povo ali viverá e tomará posse da terra; 36 a descendência dos seus servos a herdará, e nela habitarão os que amam o seu nome.
69.22 Ou Que até as suas ofertas de comunhão se tornem em armadilha; ou ainda Que até os seus aliados se tornem uma armadilha

Salmo 70
1 Livra-me, ó Deus! Apressa-te, SENHOR, a ajudar-me!
2 Sejam humilhados e frustrados os que procuram tirar-me a vida; retrocedam desprezados os que desejam a minha ruína.
3 Retrocedam em desgraça os que zombam de mim.
4 Mas regozijem-se e alegrem-se em ti todos os que te buscam; digam sempre os que amam a tua salvação: “Como Deus é grande!”
5 Quanto a mim, sou pobre e necessitado; apressa-te, ó Deus. Tu és o meu socorro e o meu libertador; SENHOR, não te demores!

Salmo 71
1 Em SENHOR, busquei refúgio; nunca permitas que eu seja humilhado.
2 Resgata-me e livra-me por tua justiça; inclina o teu ouvido para mim e salva-me.
3 Peço-te que sejas a minha rocha de refúgio, para onde eu sempre possa ir; dá ordem para que me libertem, pois és a minha rocha e a minha fortaleza.
4 Livra-me, ó meu Deus, das mãos dos ímpios, das garras dos perversos e cruéis.
5 Pois tu és a minha esperança, ó Soberano SENHOR, em ti está a minha confiança desde a juventude.
6 Desde o ventre materno dependo de ti; tu me sustentaste desde as entranhas de minha mãe. Eu sempre te louvarei!
7 Tornei-me um exemplo para muitos, porque tu és o meu refúgio seguro.
8 Do teu louvor transborda a minha boca, que o tempo todo proclama o teu esplendor.
9 Não me rejeites na minha velhice; não me abandones quando se vão as minhas forças.
10 Pois os meus inimigos me caluniam; os que estão à espreita juntam-se e planejam matar-me.
11 “Deus o abandonou”, dizem eles; “persigam-no e prendam-no, pois ninguém o livrará.”
12 Não fiques longe de mim, ó Deus; ó meu Deus, apressa-te em ajudar-me.
13 Pereçam humilhados os meus acusadores; sejam cobertos de zombaria e vergonha os que querem prejudicar-me.
14 Mas eu sempre terei esperança e te louvarei cada vez mais.
15 A minha boca falará sem cessar da tua justiça e dos teus incontáveis atos de salvação.
16 Falarei dos teus feitos poderosos, ó Soberano SENHOR; proclamarei a tua justiça,unicamente a tua justiça.
17 Desde a minha juventude, ó Deus, tens me ensinado, e até hoje eu anuncio as tuas maravilhas.
18 Agora que estou velho, de cabelos brancos, não me abandones, ó Deus, para que eu possa falar da tua força aos nossos filhos, e do teu poder às futuras gerações.
19 Tua justiça chega até as alturas, ó Deus, tu, que tens feito coisas grandiosas. Quem se compara a ti, ó Deus?
20 Tu, que me fizeste passar muitas e duras tribulações, restaurarás a minha vida, e das profundezas da terra de novo me farás subir.
21 Tu me farás mais honrado e mais uma vez me consolarás.
22 E eu te louvarei com a lira por tua fidelidade, ó meu Deus; cantarei louvores a ti com a harpa,
ó Santo de Israel.
23 Os meus lábios gritarão de alegria quando eu cantar louvores a ti, pois tu me redimiste.
24 Também a minha língua sempre falará dos teus atos de justiça, pois os que queriam prejudicar-me foram humilhados e ficaram frustrados.
71.6 Ou separaste

Salmo 72
1 Reveste da tua justiça o rei, ó Deus, e o filho do rei, da tua retidão, 2 para que ele julgue com retidão e com justiça os teus que sofrem opressão.
3 Que os montes tragam prosperidade ao povo, e as colinas, o fruto da justiça.
4 Defenda ele os oprimidos entre o povo e liberte os filhos dos pobres; esmague ele o opressor!
5 Que ele perdure como o sol e como a lua, por todas as gerações.
6 Seja ele como chuva sobre uma lavoura ceifada, como aguaceiros que regam a terra.
7 Floresçam os justos nos dias do rei, e haja grande prosperidade enquanto durar a lua.
8 Governe ele de mar a mar e desde o rio Eufrates até os confins da terra.
9 Inclinem diante dele as tribos do deserto, e os seus inimigos lambam o pó.
10 Que os reis de Társis e das regiões litorâneas lhe tragam tributo; os reis de Sabá e de Sebá
lhe ofereçam presentes.
11 Inclinem-se diante dele todos os reis, e sirvam-no todas as nações.
12 Pois ele liberta os pobres que pedem socorro, os oprimidos que não têm quem os ajude.
13 Ele se compadece dos fracos e dos pobres, e os salva da morte.
14 Ele os resgata da opressão e da violência, pois aos seus olhos a vida deles é preciosa.
15 Tenha o rei vida longa! Receba ele o ouro de Sabá. Que se ore por ele continuamente, e todo o dia se invoquem bênçãos sobre ele.
16 Haja fartura de trigo por toda a terra, ondulando no alto dos montes. Floresçam os seus frutos como os do Líbano e cresçam as cidades como as plantas no campo.
17 Permaneça para sempre o seu nome e dure a sua fama enquanto o sol brilhar. Sejam abençoadas todas as nações por meio dele, e que elas o chamem bendito.
18 Bendito seja o SENHOR Deus, o Deus de Israel, o único que realiza feitos maravilhosos.
19 Bendito seja o seu glorioso nome para sempre; encha-se toda a terra da sua glória. Amém e amém.
20 Encerram-se aqui as orações de Davi, filho de Jessé.
72.5 Conforme a Septuaginta. O Texto Massorético diz Que tu sejas temido.
72.8 Ou do país
72.9 Ou criaturas do deserto; ou ainda adversários
72.14 Hebraico: sangue.