Livro 3 - Salmos 73 a 89

BCC

Livro 1   Livro 2   Livro 3   Livro 4   Livro 5  

Salmo 73
1 Certamente Deus é bom para Israel, para os puros de coração.
2 Quanto a mim, os meus pés quase tropeçaram; por pouco não escorreguei.
3 Pois tive inveja dos arrogantes quando vi a prosperidade desses ímpios.
4 Eles não passam por sofrimento e têm o corpo saudável e forte.
5 Estão livres dos fardos de todos; não são atingidos por doenças como os outros homens.
6 Por isso o orgulho lhes serve de colar, e eles se vestem de violência.
7 Do seu íntimo brota a maldade; da sua mente transbordam maquinações.
8 Eles zombam e falam com más intenções; em sua arrogância ameaçam com opressão.
9 Com a boca arrogam a si os céus, e com a língua se apossam da terra.
10 Por isso o seu povo se volta para eles e bebe suas palavras até saciar-se.
11 Eles dizem: “Como saberá Deus? Terá conhecimento o Altíssimo?”
12 Assim são os ímpios; sempre despreocupados, aumentam suas riquezas.
13 Certamente foi-me inútil manter puro o coração e lavar as mãos na inocência, 14 pois o dia inteiro sou afligido, e todas as manhãs sou castigado.
15 Se eu tivesse dito: Falarei como eles, teria traído os teus filhos.
16 Quando tentei entender tudo isso, achei muito difícil para mim, 17 até que entrei no santuário de Deus, e então compreendi o destino dos ímpios.
18 Certamente os pões em terreno escorregadio e os fazes cair na ruína.
19 Como são destruídos de repente, completamente tomados de pavor!
20 São como um sonho que se vai quando acordamos; quando te levantares, Senhor, tu os farás desaparecer.
21 Quando o meu coração estava amargurado e no íntimo eu sentia inveja, 22 agi como insensato e ignorante; minha atitude para contigo era a de um animal irracional.
23 Contudo, sempre estou contigo; tomas a minha mão direita e me susténs.
24 Tu me diriges com o teu conselho, e depois me receberás com honras.
25 A quem tenho nos céus senão a ti? E na terra, nada mais desejo além de estar junto a ti.
26 O meu corpo e o meu coração poderão fraquejar, mas Deus é a força do meu coração e a minha herança para sempre.
27 Os que te abandonam sem dúvida perecerão; tu destróis todos os infiéis.
28 Mas, para mim, bom é estar perto de Deus; fiz do Soberano SENHOR o meu refúgio; proclamarei todos os teus feitos.
73.4 Ou sofrimento até morrer; ou ainda sofrimento; até morrer o corpo deles é
73.7 Hebraico: gordura.
73.7 Conforme a Versão Siríaca. O Texto Massorético diz Seus olhos saltam-lhes da gordura.

Salmo 74
1 Por que nos rejeitaste definitivamente, ó Deus? Por que se acende a tua ira contra as ovelhas da tua pastagem?
2 Lembra-te do povo que adquiriste em tempos passados, da tribo da tua herança, que resgataste, do monte Sião, onde habitaste.
3 Volta os teus passos para aquelas ruínas irreparáveis, para toda a destruição que o inimigo causou em teu santuário.
4 Teus adversários gritaram triunfantes bem no local onde te encontravas conosco, e hastearam suas bandeiras em sinal de vitória.
5 Pareciam homens armados com machados invadindo um bosque cerrado.
6 Com seus machados e machadinhas esmigalharam todos os revestimentos de madeira esculpida.
7 Atearam fogo ao teu santuário; profanaram o lugar da habitação do teu nome.
8 Disseram no coração: “Vamos acabar com eles!” Queimaram todos os santuários do país.
9 Já não vemos sinais miraculosos; não há mais profetas, e nenhum de nós sabe até quando isso continuará.
10 Até quando o adversário irá zombar, ó Deus? Será que o inimigo blasfemará o teu nome para sempre?
11 Por que reténs a tua mão, a tua mão direita? Não fiques de braços cruzados! Destrói-os!
Pausa
12 Mas tu, ó Deus, és o meu rei desde a antiguidade; trazes salvação sobre a terra.
13 Tu dividiste o mar pelo teu poder; quebraste as cabeças das serpentes das águas.
14 Esmagaste as cabeças do Leviatã e o deste por comida às criaturas do deserto.
15 Tu abriste fontes e regatos; secaste rios perenes.
16 O dia é teu, e tua também é a noite; estabeleceste o sol e a lua.
17 Determinaste todas as fronteiras da terra; fizeste o verão e o inverno.
18 Lembra-te de como o inimigo tem zombado de ti, ó SENHOR, como os insensatos têm blasfemado o teu nome.
19 Não entregues a vida da tua pomba aos animais selvagens; não te esqueças para sempre da vida do teu povo indefeso.
20 Dá atenção à tua aliança, porque de antros de violência se enchem os lugares sombrios do país.
21 Não deixes que o oprimido se retire humilhado! Faze que o pobre e o necessitado louvem o teu nome.
22 Levanta-te, ó Deus, e defende a tua causa; lembra-te de como os insensatos zombam de ti sem cessar.
23 Não ignores a gritaria dos teus adversários, o crescente tumulto dos teus inimigos.
74.14 Ou monstro marinho

Salmo 75
1 Damos-te graças, ó Deus, damos-te graças, pois perto está o teu nome; todos falam dos teus feitos maravilhosos.
2 Tu dizes: “Eu determino o tempo em que julgarei com justiça.
3 Quando treme a terra com todos os seus habitantes, sou eu que mantenho firmes as suas colunas.
4 “Aos arrogantes digo: Parem de vangloriar-se! E aos ímpios: Não se rebelem!
5 Não se rebelem contra os céus; não falem com insolência”.
6 Não é do oriente nem do ocidente nem do deserto que vem a exaltação.
7 É Deus quem julga: Humilha a um, a outro exalta.
8 Na mão do SENHOR está um cálice cheio de vinho espumante e misturado; ele o derrama, e todos os ímpios da terra o bebem até a última gota.
9 Quanto a mim, para sempre anunciarei essas coisas; cantarei louvores ao Deus de Jacó.
10 Destruirei o poder de todos os ímpios, mas o poder dos justos aumentará.
75.4 Hebraico: Não levantem o chifre; também no versículo 5.
75.10 Hebraico:chifre. Duas vezes neste versículo.

Salmo 76
1 Em Judá Deus é conhecido; o seu nome é grande em Israel.
2 Sua tenda está em Salém; o lugar da sua habitação está em Sião.
3 Ali quebrou ele as flechas reluzentes, os escudos e as espadas, as armas de guerra.
Pausa
4 Resplendes de luz! És mais majestoso que os montes cheios de despojos.
5 Os homens valorosos jazem saqueados, dormem o sono final; nenhum dos guerreiros
6 Diante da tua repreensão, ó Deus de Jacó, o cavalo e o carro estacaram.
7 Somente tu és temível. Quem poderá permanecer diante de ti quando estiveres irado?
8 Dos céus pronunciaste juízo, e a terra tremeu e emudeceu, 9 quando tu, ó Deus, te levantaste para julgar, para salvar todos os oprimidos da terra.
Pausa
10 Até a tua ira contra os homens redundará em teu louvor, e os sobreviventes da tua ira se refrearão.
11 Façam votos ao SENHOR, ao seu Deus, e não deixem de cumpri-los; que todas as nações vizinhas tragam presentes a quem todos devem temer.
12 Ele tira o ânimo dos governantes e é temido pelos reis da terra.
76.10 Ou Até a ira dos homens redundará em teu louvor, e com o restante da ira tu te armas.

Salmo 77
1 Clamo a Deus por socorro; clamo a Deus que me escute.
2 Quando estou angustiado, busco o Senhor; de noite estendo as mãos sem cessar; a minha alma está inconsolável!
3 Lembro-me de ti, ó Deus, e suspiro; começo a meditar, e o meu espírito desfalece.
Pausa
4 Não me permites fechar os olhos; tão inquieto estou que não consigo falar.
5 Fico a pensar nos dias que se foram, nos anos há muito passados; 6 de noite recordo minhas canções. O meu coração medita, e o meu espírito pergunta:
7 Irá o Senhor rejeitar-nos para sempre? Jamais tornará a mostrar-nos o seu favor?
8 Desapareceu para sempre o seu amor? Acabou-se a sua promessa?
9 Esqueceu-se Deus de ser misericordioso? Em sua ira refreou sua compaixão?
Pausa
10 Então pensei: A razão da minha dor é que a mão direita do Altíssimo não age mais.
11 Recordarei os feitos do SENHOR; recordarei os teus antigos milagres.
12 Meditarei em todas as tuas obras e considerarei todos os teus feitos.
13 Teus caminhos, ó Deus, são santos. Que deus é tão grande como o nosso Deus?
14 Tu és o Deus que realiza milagres; mostras o teu poder entre os povos.
15 Com o teu braço forte resgataste o teu povo, os descendentes de Jacó e de José.
Pausa
16 As águas te viram, ó Deus, as águas te viram e se contorceram; até os abismos estremeceram.
17 As nuvens despejaram chuvas, ressoou nos céus o trovão; as tuas flechas reluziam em todas as direções.
18 No redemoinho, estrondou o teu trovão, os teus relâmpagos iluminaram o mundo; a terra tremeu e sacudiu-se.
19 A tua vereda passou pelo mar, o teu caminho pelas águas poderosas, e ninguém viu as tuas pegadas.
20 Guiaste o teu povo como a um rebanho pela mão de Moisés e de Arão.
77.10 Ou Apelarei para o que há muito fez a mão direita do Altíssimo.

Salmo 78
1 Povo meu, escute o meu ensino; incline os ouvidos para o que eu tenho a dizer.
2 Em parábolas abrirei a minha boca, proferirei enigmas do passado; 3 o que ouvimos e aprendemos, o que nossos pais nos contaram.
4 Não os esconderemos dos nossos filhos; contaremos à próxima geração os louváveis feitos do SENHOR, o seu poder e as maravilhas que fez.
5 Ele decretou estatutos para Jacó, e em Israel estabeleceu a lei, e ordenou aos nossos antepassados que a ensinassem aos seus filhos, 6 de modo que a geração seguinte a conhecesse, e também os filhos que ainda nasceriam, e eles, por sua vez, contassem aos seus próprios filhos.
7 Então eles porão a confiança em Deus; não esquecerão os seus feitos e obedecerão aos seus mandamentos.
8 Eles não serão como os seus antepassados, obstinados e rebeldes, povo de coração desleal para com Deus, gente de espírito infiel.
9 Os homens de Efraim, flecheiros armados, viraram as costas no dia da batalha; 10 não guardaram a aliança de Deus e se recusaram a viver de acordo com a sua lei.
11 Esqueceram o que ele tinha feito, as maravilhas que lhes havia mostrado.
12 Ele fez milagres diante dos seus antepassados, na terra do Egito, na região de Zoã.
13 Dividiu o mar para que pudessem passar; fez a água erguer-se como um muro.
14 Ele os guiou com a nuvem de dia e com a luz do fogo de noite.
15 Fendeu as rochas no deserto e deu-lhes tanta água como a que flui das profundezas; 16 da pedra fez sair regatos e fluir água como um rio.
17 Mas contra ele continuaram a pecar, revoltando-se no deserto contra o Altíssimo.
18 Deliberadamente puseram Deus à prova, exigindo o que desejavam comer.
19 Duvidaram de Deus, dizendo: “Poderá Deus preparar uma mesa no deserto?
20 Sabemos que quando ele feriu a rocha a água brotou e jorrou em torrentes. Mas conseguirá também dar-nos de comer? Poderá suprir de carne o seu povo?”
21 O SENHOR os ouviu e enfureceu-se; com fogo atacou Jacó, e sua ira levantou-se contra Israel, 22 pois eles não creram em Deus nem confiaram no seu poder salvador.
23 Contudo, ele deu ordens às nuvens e abriu as portas dos céus; 24 fez chover maná para que o povo comesse, deu-lhe o pão dos céus.
25 Os homens comeram o pão dos anjos; enviou-lhes comida à vontade.
26 Enviou dos céus o vento oriental e pelo seu poder fez avançar o vento sul.
27 Fez chover carne sobre eles como pó, bandos de aves como a areia da praia.
28 Levou-as a cair dentro do acampamento, ao redor das suas tendas.
29 Comeram à vontade, e assim ele satisfez o desejo deles.
30 Mas, antes de saciarem o apetite, quando ainda tinham a comida na boca, 31 acendeu-se contra eles a ira de Deus; e ele feriu de morte os mais fortes dentre eles, matando os jovens de Israel.
32 A despeito disso tudo, continuaram pecando; não creram nos seus prodígios.
33 Por isso ele encerrou os dias deles como um sopro e os anos deles em repentino pavor.
34 Sempre que Deus os castigava com a morte, eles o buscavam; com fervor se voltavam de novo para ele.
35 Lembravam-se de que Deus era a sua Rocha, de que o Deus Altíssimo era o seu Redentor.
36 Com a boca o adulavam, com a língua o enganavam; 37 o coração deles não era sincero; não foram fiéis à sua aliança.
38 Contudo, ele foi misericordioso; perdoou-lhes as maldades e não os destruiu. Vez após vez conteve a sua ira, sem despertá-la totalmente.
39 Lembrou-se de que eram meros mortais, brisa passageira que não retorna.
40 Quantas vezes mostraram-se rebeldes contra ele no deserto e o entristeceram na terra solitária!
41 Repetidas vezes puseram Deus à prova; irritaram o Santo de Israel.
42 Não se lembravam da sua mão poderosa, do dia em que os redimiu do opressor, 43 do dia em que mostrou os seus prodígios no Egito, as suas maravilhas na região de Zoã, 44 quando transformou os rios e os riachos dos egípcios em sangue, e eles não mais conseguiam beber das suas águas, 45 e enviou enxames de moscas que os devoraram, e rãs que os devastaram; 46 quando entregou as suas plantações às larvas, a produção da terra aos gafanhotos, 47 e destruiu as suas vinhas com a saraiva e as suas figueiras bravas, com a geada; 48 quando entregou o gado deles ao granizo, os seus rebanhos aos raios; 49 quando os atingiu com a sua ira ardente, com furor, indignação e hostilidade, com muitos anjos destruidores.
50 Abriu caminho para a sua ira; não os poupou da morte, mas os entregou à peste.
51 Matou todos os primogênitos do Egito, as primícias do vigor varonil das tendas de Cam.
52 Mas tirou o seu povo como ovelhas e o conduziu como a um rebanho pelo deserto.
53 Ele os guiou em segurança, e não tiveram medo; e os seus inimigos afundaram-se no mar.
54 Assim os trouxe à fronteira da sua terra santa, aos montes que a sua mão direita conquistou.
55 Expulsou nações que lá estavam, distribuiu-lhes as terras por herança e deu suas tendas às tribos de Israel para que nelas habitassem.
56 Mas eles puseram Deus à prova e foram rebeldes contra o Altíssimo; não obedeceram aos seus testemunhos.
57 Foram desleais e infiéis, como os seus antepassados, confiáveis como um arco defeituoso.
58 Eles o irritaram com os altares idólatras; com os seus ídolos lhe provocaram ciúmes.
59 Sabendo-o Deus, enfureceu-se e rejeitou totalmente Israel; 60 abandonou o tabernáculo de Siló, a tenda onde habitava entre os homens.
61 Entregou o símbolo do seu poder ao cativeiro, e o seu esplendor, nas mãos do adversário.
62 Deixou que o seu povo fosse morto à espada, pois enfureceu-se com a sua herança.
63 O fogo consumiu os seus jovens, e as suas moças não tiveram canções de núpcias; 64 os sacerdotes foram mortos à espada! As viúvas já nem podiam chorar!
65 Então o Senhor despertou como que de um sono, como um guerreiro despertado do domínio do vinho.
66 Fez retroceder a golpes os seus adversários e os entregou a permanente humilhação.
67 Também rejeitou as tendas de José, e não escolheu a tribo de Efraim; 68 ao contrário, escolheu a tribo de Judá e o monte Sião, o qual amou.
69 Construiu o seu santuário como as alturas; como a terra o firmou para sempre.
70 Escolheu o seu servo Davi e o tirou do aprisco das ovelhas, 71 do pastoreio de ovelhas, para ser o pastor de Jacó, seu povo, de Israel, sua herança.
72 E de coração íntegro Davi os pastoreou; com mãos experientes os conduziu.
78.24 Hebraico: trigo.

Salmo 79
1 Ó Deus, as nações invadiram a tua herança, profanaram o teu santo templo, reduziram Jerusalém a ruínas.
2 Deram os cadáveres dos teus servos às aves do céu por alimento, a carne dos teus fiéis, aos animais selvagens.
3 Derramaram o sangue deles como água ao redor de Jerusalém, e não há ninguém para sepultá-los.
4 Somos objeto de zombaria para os nossos vizinhos, de riso e menosprezo para os que vivem ao nosso redor.
5 Até quando, SENHOR? Ficarás irado para sempre? Arderá o teu ciúme como o fogo?
6 Derrama a tua ira sobre as nações que não te reconhecem, sobre os reinos que não invocam o teu nome, Diante dos nossos olhos, mostra às nações 7 pois devoraram Jacó, deixando em ruínas a sua terra.
8 Não cobres de nós as maldades dos nossos antepassados; venha depressa ao nosso encontro a tua misericórdia, pois estamos totalmente desanimados!
9 Ajuda-nos, ó Deus, nosso Salvador, para a glória do teu nome; livra-nos e perdoa os nossos pecados, por amor do teu nome.
10 Por que as nações haverão de dizer: “Onde está o Deus deles?” a tua vingança pelo sangue dos teus servos.
11 Cheguem à tua presença os gemidos dos prisioneiros. Pela força do teu braço preserva os condenados à morte.
12 Retribui sete vezes mais aos nossos vizinhos as afrontas com que te insultaram, Senhor!
13 Então nós, o teu povo, as ovelhas das tuas pastagens, para sempre te louvaremos; de geração em geração cantaremos os teus louvores.

Salmo 80
1 Escuta-nos, Pastor de Israel, tu, que conduzes José como um rebanho; tu, que tens o teu trono sobre os querubins, manifesta o teu esplendor 2 diante de Efraim, Benjamim e Manassés.
Desperta o teu poder, e vem salvar-nos!
3 Restaura-nos, ó Deus! Faze resplandecer sobre nós o teu rosto, para que sejamos salvos.
4 Ó SENHOR, Deus dos Exércitos, até quando arderá a tua ira contra as orações do teu povo?
5 Tu o alimentaste com pão de lágrimas e o fizeste beber copos de lágrimas.
6 Fizeste de nós um motivo de disputas entre as nações vizinhas, e os nossos inimigos caçoam de nós.
7 Restaura-nos, ó Deus dos Exércitos; faze resplandecer sobre nós o teu rosto, para que sejamos salvos.
8 Do Egito trouxeste uma videira; expulsaste as nações e a plantaste.
9 Limpaste o terreno, ela lançou raízes e encheu a terra.
10 Os montes foram cobertos pela sua sombra, e os mais altos cedros, pelos seus ramos.
11 Seus ramos se estenderam até o Mar, e os seus brotos, até o Rio.
12 Por que derrubaste as suas cercas, permitindo que todos os que passam apanhem as suas uvas?
13 Javalis da floresta a devastam e as criaturas do campo dela se alimentam.
14 Volta-te para nós, ó Deus dos Exércitos! Dos altos céus olha e vê! Toma conta desta videira, 15 da raiz que a tua mão direita plantou, do filho que para ti fizeste crescer!
16 Tua videira foi derrubada; como lixo foi consumida pelo fogo. Pela tua repreensão perece o teu povo!
17 Repouse a tua mão sobre aquele que puseste à tua mão direita, o filho do homem que para ti fizeste crescer.
18 Então não nos desviaremos de ti; vivifica-nos, e invocaremos o teu nome.
19 Restaura-nos, ó SENHOR, Deus dos Exércitos; faze resplandecer sobre nós o teu rosto, para que sejamos salvos.
80.3 Isto é, mostra-nos a tua bondade; também nos versículos 7 e 19.
80.11 Isto é, o Mediterrâneo.
80.11 Isto é, o Eufrates.
80.15 Ou ramo
80.16 Ou Pela tua repreensão faze perecer os que a derrubaram e a queimaram como lixo!

Salmo 81
1 Cantem de alegria a Deus, nossa força; aclamem o Deus de Jacó!
2 Comecem o louvor, façam ressoar o tamborim, toquem a lira e a harpa melodiosa.
3 Toquem a trombeta na lua nova e no dia de lua cheia, dia da nossa festa; 4 porque este é um decreto para Israel, uma ordenança do Deus de Jacó, 5 que ele estabeleceu como estatuto para José, quando atacou o Egito. Ali ouvimos uma língua que não conhecíamos.
6 Ele diz: “Tirei o peso dos seus ombros; suas mãos ficaram livres dos cestos de cargas.
7 Na sua aflição vocês clamaram e eu os livrei, do esconderijo dos trovões lhes respondi; eu os pus à prova nas águas de Meribá.
Pausa
8 “Ouça, meu povo, as minhas advertências; se tão-somente você me escutasse, ó Israel!
9 Não tenha deus estrangeiro no seu meio; não se incline perante nenhum deus estranho.
10 Eu sou o SENHOR, o seu Deus, que o tirei da terra do Egito. Abra a sua boca, e eu o alimentarei.
11 “Mas o meu povo não quis ouvir-me; Israel não quis obedecer-me.
12 Por isso os entreguei ao seu coração obstinado, para seguirem os seus próprios planos.
13 “Se o meu povo apenas me ouvisse, se Israel seguisse os meus caminhos, 14 com rapidez eu subjugaria os seus inimigos e voltaria a minha mão contra os seus adversários!
15 Os que odeiam o SENHOR se renderiam diante dele, e receberiam um castigo perpétuo.
16 Mas eu sustentaria Israel com o melhor trigo, e com o mel da rocha eu o satisfaria”.
81.5 Ou voz
81.7 Meribá significa rebelião.

Salmo 82
1 É Deus quem preside à assembleia divina; no meio dos deuses, ele é o juiz.
2 “Até quando vocês vão absolver os culpados e favorecer os ímpios?
Pausa
3 "Garantam justiça para os fracos e para os órfãos; mantenham os direitos dos necessitados e dos oprimidos.
4 Livrem os fracos e os pobres; libertem-nos das mãos dos ímpios.
5 "Eles nada sabem, nada entendem. Vagueiam pelas trevas; todos os fundamentos da terra estão abalados.
6 "Eu disse: Vocês são deuses, todos vocês são filhos do Altíssimo.
7 Mas vocês morrerão como simples homens; cairão como qualquer outro governante.”
8 Levanta-te, ó Deus, julga a terra, pois todas as nações te pertencem
82.1 Ou É Deus quem preside na suprema assembléia; no meio dos poderosos, ele é o juiz; ou ainda no meio dos juízes, ele é o juiz.

Salmo 83
1 Ó Deus, não te emudeças; não fiques em silêncio nem te detenhas, ó Deus.
2 Vê como se agitam os teus inimigos, como os teus adversários te desafiam de cabeça erguida.
3 Com astúcia conspiram contra o teu povo; tramam contra aqueles que são o teu tesouro.
4 Eles dizem: “Venham, vamos destruí-los como nação, para que o nome de Israel não seja mais lembrado!”
5 Com um só propósito tramam juntos; é contra ti que fazem acordo 6 as tendas de Edom e os ismaelitas, Moabe e os hagarenos, 7 Gebal, Amom e Amaleque, a Filístia, com os habitantes de Tiro.
8 Até a Assíria aliou-se a eles, e trouxe força aos descendentes de Ló.
Pausa
9 Trata-os como trataste Midiã, como trataste Sísera e Jabim no rio Quisom, 10 os quais morreram em En-Dor e se tornaram esterco para a terra.
11 Faze com os seus nobres o que fizeste com Orebe e Zeebe, e com todos os seus príncipes o que fizeste com Zeba e Zalmuna, 12 que disseram: “Vamos apossar-nos das pastagens de Deus”.
13 Faze-os como folhas secas levadas no redemoinho, ó meu Deus, como palha ao vento.
14 Assim como o fogo consome a floresta e as chamas incendeiam os montes, 15 persegue-os com o teu vendaval e aterroriza-os com a tua tempestade.
16 Cobre-lhes de vergonha o rosto até que busquem o teu nome, SENHOR.
17 Sejam eles humilhados e aterrorizados para sempre; pereçam em completa desgraça.
18 Saibam eles que tu, cujo nome é SENHOR, somente tu, és o Altíssimo sobre toda a terra.
83.7 Isto é, Biblos.

Salmo 84
1 Como é agradável o lugar da tua habitação, SENHOR dos Exércitos!
2 A minha alma anela, e até desfalece, pelos átrios do SENHOR; o meu coração e o meu corpo cantam de alegria ao Deus vivo.
3 Até o pardal achou um lar, e a andorinha um ninho para si, para abrigar os seus filhotes, um lugar perto do teu altar, ó SENHOR dos Exércitos, meu Rei e meu Deus.
4 Como são felizes os que habitam em tua casa; louvam-te sem cessar!
Pausa
5 Como são felizes os que em ti encontram sua força, e os que são peregrinos de coração!
6 Ao passarem pelo vale de Baca, fazem dele um lugar de fontes; as chuvas de outono também o enchem de cisternas.
7 Prosseguem o caminho de força em força, até que cada um se apresente a Deus em Sião.
8 Ouve a minha oração, ó SENHOR Deus dos Exércitos; escuta-me, ó Deus de Jacó.
Pausa
9 Olha, ó Deus, que és nosso escudo; trata com bondade o teu ungido.
10 Melhor é um dia nos teus átrios do que mil noutro lugar; prefiro ficar à porta da casa do meu Deus a habitar nas tendas dos ímpios.
11 O SENHOR Deus é sol e escudo; o SENHOR concede favor e honra; não recusa nenhum bem aos que vivem com integridade.
12 Ó SENHOR dos Exércitos, como é feliz aquele que em ti confia!

Salmo 85
1 Foste favorável à tua terra, ó SENHOR; trouxeste restauração a Jacó.
2 Perdoaste a culpa do teu povo e cobriste todos os seus pecados.
Pausa
3 Retiraste todo o teu furor e te afastaste da tua ira tremenda.
4 Restaura-nos mais uma vez, ó Deus, nosso Salvador, e desfaze o teu furor para conosco.
5 Ficarás indignado conosco para sempre? Prolongarás a tua ira por todas as gerações?
6 Acaso não nos renovarás a vida, a fim de que o teu povo se alegre em ti?
7 Mostra-nos o teu amor, ó SENHOR, e concede-nos a tua salvação!
8 Eu ouvirei o que Deus, o SENHOR, disse; ele promete paz ao seu povo, aos seus fiéis! Não voltem eles à insensatez!
9 Perto está a salvação que ele trará aos que o temem, e a sua glória habitará em nossa terra.
10 O amor e a fidelidade se encontrarão; a justiça e a paz se beijarão.
11 A fidelidade brotará da terra, e a justiça descerá dos céus.
12 O SENHOR nos trará bênçãos, e a nossa terra dará a sua colheita.
13 A justiça irá adiante dele e preparará o caminho para os seus passos.
85.1 Ou os cativos de volta

Salmo 86
1 Inclina os teus ouvidos, ó SENHOR, e responde-me, pois sou pobre e necessitado.
2 Guarda a minha vida, pois sou fiel a ti. Tu és o meu Deus; salva o teu servo que em ti confia!
3 Misericórdia, Senhor, pois clamo a ti sem cessar.
4 Alegra o coração do teu servo, pois a ti, Senhor, elevo a minha alma.
5 Tu és bondoso e perdoador, Senhor, rico em graça para com todos os que te invocam.
6 Escuta a minha oração, SENHOR; atenta para a minha súplica!
7 No dia da minha angústia clamarei a ti, pois tu me responderás.
8 Nenhum dos deuses é comparável a ti, Senhor, nenhum deles pode fazer o que tu fazes.
9 Todas as nações que tu formaste virão e te adorarão, Senhor, e glorificarão o teu nome.
10 Pois tu és grande e realizas feitos maravilhosos; só tu és Deus!
11 Ensina-me o teu caminho, SENHOR, para que eu ande na tua verdade; dá-me um coração inteiramente fiel, para que eu tema o teu nome.
12 De todo o meu coração te louvarei, Senhor, meu Deus; glorificarei o teu nome para sempre.
13 Pois grande é o teu amor para comigo; tu me livraste das profundezas do Sheol.
14 Os arrogantes estão me atacando, ó Deus; um bando de homens cruéis, gente que não faz caso de ti procura tirar-me a vida.
15 Mas tu, Senhor, és Deus compassivo e misericordioso, muito paciente, rico em amor e em fidelidade.
16 Volta-te para mim! Tem misericórdia de mim! Concede a tua força a teu servo e salva o filho da tua serva.
17 Dá-me um sinal da tua bondade, para que os meus inimigos vejam e sejam humilhados, pois tu, SENHOR, me ajudaste e me consolaste.
86.13 Essa palavra pode ser traduzida por sepultura, profundezas, pó ou morte.
86.16 Ou salva o teu filho fiel

Salmo 87
1 O SENHOR edificou sua cidade sobre o monte santo; 2 ele ama as portas de Sião mais do que qualquer outro lugar de Jacó.
3 Coisas gloriosas são ditas de ti, ó cidade de Deus!
Pausa
4 “Entre os que me reconhecem incluirei Raabe e Babilônia, além da Filístia, de Tiro, e também da Etiópia, como se tivessem nascido em Sião.”
5 De fato, acerca de Sião se dirá: “Todos estes nasceram em Sião, e o próprio Altíssimo a estabelecerá”.
6 O SENHOR escreverá no registro dos povos: “Este nasceu ali”.
Pausa
7 Com danças e cânticos, dirão: “Em Sião estão as nossas origens!”
87.2 Ou santuário
87.4 Isto é, o Egito.
87.4 Hebraico: Cuxe.
87.4 Hebraico: este nasceu ali.
87.7 Ou está a nossa fonte de felicidade

Salmo 88
1 Ó SENHOR, Deus que me salva, a ti clamo dia e noite.
2 Que a minha oração chegue diante de ti; inclina os teus ouvidos ao meu clamor.
3 Tenho sofrido tanto que a minha vida está à beira da sepultura!
4 Sou contado entre os que descem à cova; sou como um homem que já não tem forças.
5 Fui colocado junto aos mortos, sou como os cadáveres que jazem no túmulo, dos quais já não te lembras, pois foram tirados de tua mão.
6 Puseste-me na cova mais profunda, na escuridão das profundezas.
7 Tua ira pesa sobre mim; com todas as tuas ondas me afligiste.
Pausa
8 Afastaste de mim os meus melhores amigos e me tornaste repugnante para eles. Estou como um preso que não pode fugir; 9 minhas vistas já estão fracas de tristeza. A ti, SENHOR, clamo cada dia; a ti ergo as minhas mãos.
10 Acaso mostras as tuas maravilhas aos mortos? Acaso os mortos se levantam e te louvam?
Pausa
11 Será que o teu amor é anunciado no túmulo, e a tua fidelidade, no Abismo da Morte?
12 Acaso são conhecidas as tuas maravilhas na região das trevas, e os teus feitos de justiça, na terra do esquecimento?
13 Mas eu, SENHOR, a ti clamo por socorro; já de manhã a minha oração chega à tua presença.
14 Por que, SENHOR, me rejeitas e escondes de mim o teu rosto?
15 Desde moço tenho sofrido e ando perto da morte; os teus terrores levaram-me ao desespero.
16 Sobre mim se abateu a tua ira; os pavores que me causas me destruíram.
17 Cercam-me o dia todo como uma inundação; envolvem-me por completo.
18 Tiraste de mim os meus amigos e os meus companheiros; as trevas são a minha única companhia.
88.3 Hebraico: Sheol. Essa palavra também pode ser traduzida por profundezas, pó ou morte.
88.11 Hebraico: Abadom

Salmo 89
1 Cantarei para sempre o amor do SENHOR; com minha boca anunciarei a tua fidelidade por todas as gerações.
2 Sei que firme está o teu amor para sempre, e que firmaste nos céus a tua fidelidade.
3 Tu disseste: “Fiz aliança com o meu escolhido, jurei ao meu servo Davi:
4 Estabelecerei a tua linhagem para sempre e firmarei o teu trono por todas as gerações”.
Pausa
5 Os céus louvam as tuas maravilhas, SENHOR, e a tua fidelidade na assembleia dos santos.
6 Pois, quem nos céus poderá comparar-se ao SENHOR? Quem dentre os seres celestiais assemelha-se ao SENHOR?
7 Na assembleia dos santos Deus é temível, mais do que todos os que o rodeiam.
8 Ó SENHOR, Deus dos Exércitos, quem é semelhante a ti? És poderoso, SENHOR, envolto em tua fidelidade.
9 Tu dominas o revolto mar; quando se agigantam as suas ondas, tu as acalmas.
10 Esmagaste e mataste o Monstro dos Mares; com teu braço forte dispersaste os teus inimigos.
11 Os céus são teus, e tua também é a terra; fundaste o mundo e tudo o que nele existe.
12 Tu criaste o Norte e o Sul; o Tabor e o Hermom cantam de alegria pelo teu nome.
13 O teu braço é poderoso; a tua mão é forte, exaltada é tua mão direita.
14 A retidão e a justiça são os alicerces do teu trono; o amor e a fidelidade vão à tua frente.
15 Como é feliz o povo que aprendeu a aclamar-te, SENHOR, e que anda na luz da tua presença!
16 Sem cessar exultam no teu nome, e alegram-se na tua retidão, 17 pois tu és a nossa glória e a nossa força, e pelo teu favor exaltas a nossa força.
18 Sim, SENHOR, tu és o nosso escudo, ó Santo de Israel, tu és o nosso rei.
19 Numa visão falaste um dia, e aos teus fiéis disseste: “Cobri de forças um guerreiro, exaltei um homem escolhido dentre o povo.
20 Encontrei o meu servo Davi; ungi-o com o meu óleo sagrado.
21 A minha mão o susterá, e o meu braço o fará forte.
22 Nenhum inimigo o sujeitará a tributos; nenhum injusto o oprimirá.
23 Esmagarei diante dele os seus adversários e destruirei os seus inimigos.
24 A minha fidelidade e o meu amor o acompanharão, e pelo meu nome aumentará o seu poder.
25 A sua mão dominará até o mar, sua mão direita, até os rios.
26 Ele me dirá: ‘Tu és o meu Pai, o meu Deus, a Rocha que me salva’.
27 Também o nomearei meu primogênito, o mais exaltado dos reis da terra.
28 Manterei o meu amor por ele para sempre, e a minha aliança com ele jamais se quebrará.
29 Firmarei a sua linhagem para sempre, e o seu trono durará enquanto existirem céus.
30 “Se os seus filhos abandonarem a minha lei e não seguirem as minhas ordenanças, 31 se violarem os meus decretos e deixarem de obedecer aos meus mandamentos, 32 com a vara castigarei o seu pecado, e a sua iniquidade com açoites; 33 mas não afastarei dele o meu amor; jamais desistirei da minha fidelidade.
34 Não violarei a minha aliança nem modificarei as promessas dos meus lábios.
35 De uma vez para sempre jurei pela minha santidade, e não mentirei a Davi, 36 que a sua linhagem permanecerá para sempre, e o seu trono durará como o sol; 37 será estabelecido para sempre como a lua, a fiel testemunha no céu”.
Pausa
38 Mas tu o rejeitaste, recusaste-o e te enfureceste com o teu ungido.
39 Revogaste a aliança com o teu servo e desonraste a sua coroa, lançando-a ao chão.
40 Derrubaste todos os seus muros e reduziste a ruínas as suas fortalezas.
41 Todos os que passam o saqueiam; tornou-se objeto de zombaria para os seus vizinhos.
42 Tu exaltaste a mão direita dos seus adversários e encheste de alegria todos os seus inimigos.
43 Tiraste o fio da sua espada e não o apoiaste na batalha.
44 Deste fim ao seu esplendor e atiraste ao chão o seu trono.
45 Encurtaste os dias da sua juventude; com um manto de vergonha o cobriste.
Pausa
46 Até quando, SENHOR? Para sempre te esconderás? Até quando a tua ira queimará como fogo?
47 Lembra-te de como é passageira a minha vida. Terás criado em vão todos os homens?
48 Que homem pode viver e não ver a morte, ou livrar-se do poder da sepultura?
Pausa
49 Ó Senhor, onde está o teu antigo amor, que com fidelidade juraste a Davi?
50 Lembra-te, Senhor, das afrontas que o teu servo tem sofrido, das zombarias que no íntimo tenho que suportar de todos os povos, 51 das zombarias dos teus inimigos, SENHOR, com que afrontam a cada passo o teu ungido.
52 Bendito seja o SENHOR para sempre! Amém e amém.
89.6 Ou deuses; ou ainda poderosos
89.48 Hebraico: Sheol. Essa palavra também pode ser traduzida por profundezas, pó ou morte.
89.50 Ou teus servos têm